Horário de Expediente

Segunda a Quinta-feira:
Das 8h às 12h e das 13h às 17:30h
Sexta-feira:
Das 8h às 14 horas

As Sessões são realizadas nas segundas-feiras às 18h.

Notícia

62 Visualizações

COMITÊ REGIONAL REGIONAL CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA - 01/03/2017

Aconteceu no último dia 24 de fevereiro, nas dependências da Sociedade 5 de Maio em Taquara. O ato de lançamento do Comitê Regional Contra a Reforma da Previdência, que contou com a participação de diversas entidades Sindicais e Representações Políticas da Região, como o Vereador e Presidente da Câmara, Telmo Vieira(PTB/ Taquara) e os Deputados: Tarcísio Zimmermann (PT/Estadual) Marco Maia (PT/Federal).


Coordenado por uma Comissão provisória e tendo como uma das representantes a Vereadora Mônica Facio (PT/ Taquara), que em sua intervenção salientou: “Por algum tempo lutávamos por mais direitos, hoje lutamos contra a retirada de nossos direitos”.

Essa foi à finalização da fala da vereadora Mônica, que concluiu depois de dar o tom afirmando que:

“A Previdência tem papel fundamental no processo de distribuição de renda nos municípios. Aproximadamente 70% dos valores provenientes do pagamento de benefícios da Previdência movimentam as economias locais, estimulando a produção, o comércio, gerando empregos e mantendo a arrecadação de impostos. Esse ciclo pode ser quebrado se não barrarmos as Reformas da Previdência e Trabalhista. A Reforma da Previdência é real e já está acontecendo. Apenas a união das classes trabalhadoras, dos sindicatos, associações, mandatos de vereadores, prefeitos, governadores, deputados, senadores, partidos políticos, e principalmente, o povo na rua, tem o poder de barrar essa reforma nefasta”.

Alertou a todos:

“Mas essa reforma encobre outra, tão injusta quanto ela, a Reforma Trabalhista. Ela esconde questões que não são faladas, como trabalho ininterrupto por 24h, férias de 15 dias por ano, contratação por 120 dias e depois por mais 120 dias, retirando a possibilidade da segurança e do acesso do trabalhador a benefícios como o seguro desemprego. Essa agenda é nefasta, pois impossibilita que o trabalhador seja protegido como elo mais frágil na relação patrão empregado”.

Atos como esse irão se multiplicar pelo País para que possam mobilizar e pressionar aos Deputados e o Governo Federal a discutir de forma ampla a PEC da Reforma da Previdência, com toda a Sociedade.



Voltar